logo

O ciclo troiano

Seção: mitologia grega500 palavras
iiniMuralha e torre de Troia VI

Nome tradicional do complexo conjunto de mitos relacionados à conquista e destruição da cidade de Troia por uma coalização de exércitos gregos.

O principal episódio do ciclo troiano é a guerra de Troia (gr. ὁ πόλεμος τοῦ Τρωϊκοῦ), durante a qual os gregos se uniram para recuperar a bela Helena, esposa de Menelau, rei de Esparta, raptada por um príncipe troiano chamado Páris, filho do rei Príamo.

Etapas e consequências

Os mitos sobre a guerra de Troia podem ser distribuídos em três etapas:

  1. os prenúcios da guerra, e.g. mitos de Peleu e Tétis, Aquiles, Páris e Helena, Télefo;
  2. o cerco de Troia e sua queda;
  3. o retorno dos heróis gregos, e.g. Odisseu, Nestor, Agamêmnon e Neoptólemo.
iCena da guerra

De acordo com Hesíodo (Trabalhos e Dias 164-8), a Guerra de Troia foi o segundo e último grande empreendimento militar da Era Mitológica.

Muitos heróis morreram durante a luta, outros tiveram imensas dificuldades ao retornar e outros, simplesmente, não retornaram — acabaram se instalando em outras terras, fundando outras cidades, começando vida nova.

O conflito e os Retornos (gr. Νόστοι) dos heróis marcaram, portanto, o fim da raça dos heróis ou semideuses e o início da história dos homens comuns.

Mito ou história?

Para os gregos, a guerra não era um mito, havia realmente acontecido. Intelectuais sérios como Tucídides, por exemplo, recorriam à pretérita guerra de Troia para explicar fatos históricos de seu presente (1.9-12). O matemático e geógrafo Eratóstenes, da Biblioteca de Alexandria, outro homem seriíssimo, deu-se ao trabalho de calcular que a guerra teria ocorrido entre -1194 e -1184 , aproximadamente.

Ainda se discute, nos meios acadêmicos, a possibilidade de a lenda da Guerra de Troia ter fundamento histórico ou não (ver Finley, 1989). Tanto a tradição como os arqueólogos e historiadores situam a legendária, rica e próspera cidade de Troia (ou Ílion) na Tróade, planície localizada no extremo noroeste da Ásia Menor, perto do Helesponto[1].

A cidadela foi destruída no final do Período Micênico, mas não há evidência de que tenha sido uma façanha militar e, mais especificamente, grega.

Em Troia, portanto, ainda que um tanto timidamente, mitologia e história se tocam...

Literatura e arte

O ciclo troiano inspirou obras literárias e artísticas numerosas e de grande importância cultural: os poemas cíclicos, a Ilíada, a Odisseia, tragédias de Ésquilo, Sófocles e Eurípides, entre outros, milhares de cenas de vasos e centenas de pinturas e esculturas neoclássicas.

Poetas romanos, escritores medievais, poetas modernos como Shakespeare (1564-1616) e W.B. Yeats (1865-1939) também se inspiraram nos episódios do ciclo.

Na cultura mais popular, numerosos romances, filmes do cinema e histórias em quadrinhos recorreram a vários episódios da queda de Troia.