logo

Hesíodo

Seção: literatura grega840 palavras
Ἡσίοδος Hesiodus Epicus Hes.

Hesíodo é o mais antigo poeta grego de que se tem notícia com alguma certeza. Na Antiguidade, ele era tão bem considerado quanto Homero.

A poesia hesiódica se insere no âmbito da poesia épica e, assim como os poemas homéricos, representa a culminância de um longo período de evolução das tradições orais.

Biografia

Pode-se situá-lo com razoável grau de confiabilidade no início do Período Arcaico mas, a rigor, não há nenhuma evidência tangível de sua existência histórica, salvo informações contidas em sua própria obra. As informações biográficas de que dispomos são fornecidas por uma de suas obras, Os Trabalhos e os Dias.

iHesíodo? (c. -700)

O poeta teria vivido em Ascra, na Beócia, no final do século -VIII ou início do século -VII (c. -700), período de crise agrícola e social. O pai era um imigrante de Cime, na Ásia Menor, que se tornou agricultor e vivia com dificuldade de uma pequena propriedade rural próxima ao Monte Hélicon. Teve vários litígios com um irmão, Perses, a respeito da divisão da herança paterna.

A exemplo do pai, Hesíodo viveu de sua pequena propriedade rural, mas parece ter recebido treinamento de rapsodo e certamente conhecia os poemas homéricos. A tradição lhe atribui a vitória em um concurso de poesia nos jogos fúnebres de Anfídamas, em Cálcis (Eubeia).

Como os poemas homéricos, sua obra parece ser uma coletânea de mitos e tradições conservados oralmente — no caso, tradições da Beócia, região em que viveu. Hesíodo foi, no entanto, o primeiro a utilizar suas próprias experiências como tema de poesia e a cantar a vida simples do homem do campo.

Obras sobreviventes

Dois de seus poemas chegaram integralmente até nós, a Teogonia e Os Trabalhos e os Dias. Os poemas Escudo de Héracles e Catálogo das Mulheres foram atribuídos a ele na Antiguidade, mas hoje sabemos que foram compostos em época bem mais tardia (século -VI) e seu autor deve ser chamado, consequentemente, de [Hesíodo] ou de Pseudo-Hesíodo.

A Teogonia conta a formação do mundo (cosmogonia) e a origem dos deuses (teogonia) e heróis; é um verdadeiro catálogo de deuses. O formato utilizado por Hesíodo nessas obras têm paralelo em textos hititas de -1400/-1200 e textos babilônicos ainda mais antigos.

Em Os Trabalhos e os Dias o poeta relata seus problemas legais com o irmão Perses, fornece informações minuciosas sobre a agricultura, e discorre sobre a importância da justiça e do trabalho.

Devido ao contraste entre as duas obras, há ainda uma certa controvérsia quanto à atribuição da autoria da Teogonia, de tema bem diverso de Os Trabalhos e os Dias, a Hesíodo.

Características da obra

Com a poesia de Hesíodo, ficam abertos muitos caminhos novos à mentalidade grega.

Assim como Homero, Hesíodo usou basicamente o dialeto iônico e os versos hexâmetros datílicos característicos da epopeia. Certamente conhecia os poemas homéricos, pois os epítetos épicos e expressões formulares que utilizou são semelhantes; mesmo o vocabulário lembra muito a poesia de Homero.

Mas enquanto a poesia hesiódica se assemelha estruturalmente à homérica, a temática tem ao mesmo tempo distância pequena e grande. Pequena, se considerarmos a Teogonia: Homero recorre frequentemente a narrativas míticas; Hesíodo preocupa-se em agrupar os deuses e heróis em um catálogo organizado e inteligível.

iA colheita da azeitona

Grande, se considerarmos os Trabalhos e os Dias: Homero canta a vida e os problemas dos aristocratas; Hesíodo descreve a dura vida quotidiana dos camponeses, suas preocupações e problemas. As nítidas e precisas imagens que evoca, inclusive, indicam conhecimento pessoal e profundo da vida rural e de seus problemas.

Quanto ao estilo e à finalidade da poesia, o contraste é profundo. Hesíodo tem estilo didático e pessoal, bem distante da “grandiosidade” e impessoalidade de Homero. Enquanto o poeta da Ilíada e da Odisseia nada fala de si mesmo e descreve os festins e as guerras dos aristocratas a uma audiência de aristocratas, Hesíodo identifica-se, usa quase sempre a primeira pessoa, dá opiniões.

Mais do que simplesmente divertir ou distrair, sua poesia têm uma nítida função didática, a exemplo dos antigos textos sapienciais das civilizações sumeriana, egípcia e babilônica.

Os textos

Sinopses

Os dois poemas de Hesíodo têm sinopses no Portal. Os escritos pseudo-hesiódicos foram abordados à parte.

Manuscritos

Numerosos manuscritos com os poemas hesiódicos chegaram até nós. O manuscrito mais importante, com os dois poemas completos, é o Laurentianus 32.16, datado de 1280 e conservado na Biblioteca Medicea Laurenziana de Florença.

Edições e traduções

A editio princeps de Os Trabalhos e os Dias é a de Demetrius Calcondiles (Milão, 1493); a das demais obras é a Aldina (Veneza, 1495). A primeira edição completa de Hesíodo foi a Juntina (Florença, 1515).

Atualmente, as edições padrão das obras completas de Hesíodo são a de Friedrich Solmsen, Reinhold Merkelbach e Martin West (Oxford 31990) e a de Glenn Most (Loeb, 2007-2008).

Há uma tradução portuguesa conjunta de Teogonia e Trabalhos e dias (Lisboa, 2005). O pseudo-epigráfico Escudo de Héracles também já foi publicado.