Hesíodo / Os trabalhos e os dias

Seção: literatura grega
Ἔργα καὶ Ἡμέραι Opera et diesHes. Op. c. -700
página em construção
iiniO fazendeiro e seus jumentos

Poema épico de Hesíodo, um dos mais antigos autores do Período Arcaico.

Na obra, Hesíodo nos mostra (...) a organização do mundo dos mortais, apontando sua origem, suas limitações, seus deveres, revelando-nos, assim, em que se fundamenta a própria condição humana (Lafer, 1990, p. 15).

Uma parte do texto, relativa a conselhos para a vida prática, remonta a antigos textos sapienciais das antigas culturas do Oriente Médio (ver passagens selecionadas).

Resumo

O poema divide-se, basicamente em duas partes. Na primeira (1-382), Hesíodo apresenta inicialmente uma série de referências míticas, relacionadas com o trabalho e a justiça, depois os mitos de Prometeu e de Pandora e, finalmente, o célebre mito das cinco raças da humanidade, que relata a passagem da vida paradisíaca dos primeiros homens, que conviviam com os deuses, à vida dura e sofrida dos tempos atuais.

Na segunda parte (383-828), o poeta dá conselhos práticos para a vida agrícola e apresenta vários preceitos morais.

Passagens selecionadas

Manuscritos, edições, traduções

iTexto grego e versão latina, edição de 1539

Editio princeps: a de Demetrius Chalcondyles (Milão, 1493). Principais edições (recentes): Rzach (1902), Evelyn-White (1914, rev1920), Mazon (1928), Solmsen (1970), West (1978) e Terraux (1995).

Traduções para o português: João Félix Pereira (1876), Moses Bemsabat Amzalak (1947), Mary Lafer (1990, 1ª parte), José Ribeiro Ferreira (2005), Luiz Otavio Mantovaneli (2011), Alexandre Rolim de Moura (2012) e Christian Werner (2013).