Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Origens da poesia oral e da épica

Um poema é mais memorizável que um parágrafo em prosa; uma canção é mais memorizável que um poema.
Eric Havelock, 1996
 
 
Cantor com cítara

Assim como muitos outros povos, os gregos dispunham de rica cultura literária antes mesmo de dominar a escrita. Mitos, relatos de aventuras, regras legais, canções religiosas e profanas ficavam arquivados na memória de toda a comunidade, e eram transmitidos oralmente de geração a geração.

A maneira mais efetiva de se conservar na memória qualquer tipo de informação é, em primeiro lugar, adaptá-la a uma forma metrificada e constante, e em segundo lugar enunciá-la de forma rítmica diante de uma audiência a intervalos regulares. Se as informações são declamadas com o acompanhamento de melodias, música de instrumentos e dança, tornam-se ainda mais memorizáveis:

A poesia oral foi certamente a mais antiga forma de registro das obras literárias da Grécia Antiga, e as ocasiões sociais em que eram apresentadas a uma audiência grande ou pequena eram inúmeras: rituais religiosos, festas populares, reuniões familiares, reuniões nos aristocráticos palácios micênicos, e assim por diante. No caso dos poemas homéricos, foram certamente os aedos que conservaram e transmitiram os versos. Os aedos eram declamadores-cantores profissionais itinerantes que declamavam relatos míticos e aventuras em versos de sua autoria acompanhados em geral do som da lira.

A linear B, escrita utilizada pelos gregos entre -1400 e -1100, era empregada somente para os registros contábeis dos palácios micênicos, e nenhum relato de natureza literária foi descoberto até o momento. A cultura oral grega é, seguramente, bem mais antiga do que o próprio Período Micênico, mas somente com o advento do alfabeto os primeiros versos puderam ser registrados para a posteridade. Uma das mais antigas incrições alfabéticas conhecidas é a da célebre "Taça de Nestor", datada do fim do século -VIII e encontrada em Pitecusas, Magna Grécia. O primeiro verso parece ser um iambo, mas os dois seguintes são hexâmetros, característicos da poesia épica.

A prosa começou a ser usada na Grécia no século -VI pelos logógrafos e pelos filósofos pré-socráticos, mas adquiriu importância literária somente na segunda metade do século -V, a partir de Heródoto, de Platão, dos oradores áticos e, de certa forma, também de textos técnicos como a coleção hipocrática.

Referências

Eric A. Havelock, A revolução da escrita na Grécia, trad. O.J. Serra, São Paulo, EdUNESP, e Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1996.

Créditos das ilustrações

i0002Cantor com cítara → Ver comentários.

Em outras partes do Portal

Links externos

Imprenta

Artigo nº 0218
publicado em 02/11/1999. Atualização: 30/11/2002.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Origens da poesia oral e da épica. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0218. Consulta: 25/06/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 30/04/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017