Minos, Pasífae e o Minotauro

Seção: mitologia grega
iiniMinotauro

Minos (gr. Μίνως), filho de Zeus e Europa, reinava na ilha de Creta graças a Posídon, que fizera sair do mar um touro belíssimo, prova inconteste do favor divino.

Minos prometera sacrificar o touro a Posídon, mas ficou tão encantado com o animal que decidiu conservá-lo em seu rebanho. O deus, furioso com a desfeita, vingou-se enlouquecendo o touro e fazendo-o fugir, causando grandes estragos em toda a ilha.

Além disso, Posídon inspirou em Pasífae, esposa de Minos, avassaladora paixão pelo animal. Pasífae era filha de Hélio e, segundo outra versão, essa paixão monstruosa foi uma vingança de Afrodite contra o deus sol, que expusera os amores dela com Ares.

Transtornada de desejo, Pasífae convenceu o engenhoso Dédalo, ateniense exilado em Creta, a construir uma vaca oca de madeira, dentro da qual a rainha se escondeu. O modelo era tão perfeito e tão belo, que enganou o touro, e assim Pasífae conseguiu unir-se a ele.

Algum tempo depois, o touro foi finalmente dominado por Héracles e retirado da ilha. Logo Pasífae deu à luz uma criança com corpo de homem e cabeça de touro, o Minotauro (gr. Μινώταυρος, lit. ‘touro de Minos’), de extrema ferocidade e que se alimentava de carne humana. Minos, aterrado e envergonhado, mandou construir um intrincado labirinto, do qual ninguém conseguia sair, e prendeu o Minotauro dentro dele.

Minos e Atenas

Androgeu, um dos filhos de Minos e Pasífae, era excelente atleta e, quando Egeu reinava em Atenas, venceu todas as modalidades de um concurso atlético promovido pelos atenienses. Foi morto traiçoeiramente, pouco depois, pelos invejosos rivais ou, segundo outra versão, morreu tentando vencer o touro que assolava Maratona, em resposta a um desafio de Egeu.

De qualquer forma, Minos declarou guerra a Atenas por causa da morte do filho, venceu e fixou o seguinte tributo: a cada três anos (ou todos os anos, ou ainda a cada nove anos), os atenienses teriam que mandar a Creta sete rapazes e sete moças, que seriam oferecidos ao Minotauro. Se o Minotauro morresse, o tributo cessaria.

Essa lenda reflete, provavelmente, a antiga tradição de que os minoicos teriam dominado as cidades da Grécia Continental durante algum tempo.