Antigas lendas da Argólida

Seção: mitologia grega

As lendas ligadas à cidade de Argos, que significa ‘terra brilhante’, estão entre as mais antigas e mais importantes da mitologia grega. Essas lendas ligam, através de Ínaco e dos outros ancestrais míticos dos reis de Argos, a Argólida com o Egito, com o Oriente Médio e com importantes personagens lendários de outras regiões da Grécia.

Ínaco (gr. Ἴνακος) é o mais antigo rei de Argos, que teria vivido antes da criação do homem. Sua genealogia é um pouco confusa, mas em geral ele é considerado pai de e de Foroneu, um dos homens primevos. Épafo, seu neto, uniu-se a Mênfis[1], filha de Nilo[2], e gerou Líbia[3], que se uniu a Posídon e teve dois filhos, Agenor e Belo[4].

Com exceção de e Foroneu, que têm lenda própria, temos até aqui, basicamente, ancestrais míticos de rios, cidades e regiões: Ínaco é um deus-rio da Argólida e Nilo, do Egito; ambos são filhos de Oceano e Tétis. Mênfis e Tebe personificam cidades do Egito (Mênfis e Tebas[5]), e Líbia personifica a região de mesmo nome. Agenor e Belo são, respectivamente, antigos reis da Fenícia e do Egito. Busíris[6] e Egito[7] também eram, para os gregos, antigos reis do Egito; Busíris é personagem do 11º trabalho de Héracles.

Agenor é pai de Cadmo, fundador de Tebas, e ancestral de Édipo; Dânao, seu sobrinho, antigo rei de Argos, é pai das danaides e ancestral de Acrísio, Preto, Dânae, Perseu e Héracles, de um lado, e de Náuplio, personificação de uma pólis da Argólida, e de Atreu, rei de Micenas, pai de Agamêmnon e Menelau, de outro. Preto, irmão de Acrísio, é pai das prétides e participa da lenda do herói Belerofonte e da do médico-adivinho Melampo.