Filomela, Procne e Tereu

Seção: mitologia grega
página em construção
iiniProcne, Filomela e Ítis

Filomela (gr. Φιλομήλη) e Procne (gr. Πρόκνη) eram filhas de Pandíon I, um dos antigos reis de Atenas, e irmãs de Butes e de Erecteu.

Procne se casou com Tereu (gr. Τηρεύς), rei da Trácia e aliado dos atenienses, teve um filho chamado Ítis (gr. Ἴτυς) e ficou anos sem ver a irmã, Filomela, a quem era muito ligada. Tereu se dispôs a ir a Atenas e trazer Filomela para uma visita, mas se apaixonou por ela e violentou-a. Para evitar que divulgasse o ocorrido, cortou-lhe a língua, escondeu-a em algum lugar e contou à esposa que a irmã havia morrido.

iA andorinha

Mas a habilidosa Filomela contou a história através de desenhos (ou letras) tecidos em uma tapeçaria (ou manto) e conseguiu fazer a peça chegar às mãos da irmã, que logo entendeu o ocorrido. Procne conseguiu encontrar e resgatar Filomela sem que Tereu soubesse e, de volta à Trácia, as duas mataram Ítis, serviram sua carne a Tereu, de novo sem que ele percebesse e depois mostraram a cabeça do menino.

Filomela e Procne fugiram de volta para a Grécia e, é claro, o enfurecido Tereu saiu em seu encalço. Alcançou-as em Dáulia, na Fócida, mas elas imploraram a ajuda dos deuses e foram transformadas em aves, assim como Tereu.

Procne se tornou um rouxinol, Filomela uma andorinha e Tereu, uma poupa.