Hécate

Seção: mitologia grega230 palavras
iiniPerséfone, Hermes e Hécate

Hécate (gr. Ἑκάτη) é, na genealogia hesiódica, neta de titãs, pois é filha de Perses, filho do titã Crios, e de Astéria, filha dos titãs Febe e Ceos.

Na realidade trata-se de divindade muito antiga, de origem pré-helênica, talvez da Ásia Menor, e com certeza ligada à terra. Nos tempos antigos, propiciava a prosperidade e o sucesso material: colheitas e pescarias abundantes, eloquência nas assembleias, a vitória em batalhas e jogos, etc. Segundo uma das versões míticas, Hécate era na origem a heroína Ifigênia, também uma antiga divindade assimilada a Ártemis em tempos bastante recuados.

Nos mitos, seu papel é sempre secundário. Participou da gigantomaquia ao lado de Zeus e também ajudou Deméter quando Perséfone foi raptada.

Confundida com Ártemis desde o século -V, foi posteriormente associada à lua, à magia e à feitiçaria. Acreditava-se que à noite frequentava as encruzilhadas, locais propícios à magia, acompanhada de cães enormes e barulhentos. Por isso, estátuas suas eram frequentemente colocadas nas encruzilhadas, junto a oferendas.

Passagens selecionadas

Iconografia e culto

Hécate era uma figura feminina que portava quase sempre um ou dois archote; nas representações mais tardias, tinha três corpos e archotes nas seis mãos. Além de altares em frente às casas (Atenas), ela tinha templos em Mileto, Egina, Argos e um famoso santuário em Lagina, também na Ásia Menor, onde era celebrado um festival anual em sua honra.