Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO
650 palavras

Editio princeps

 
Edição aldina do Corpus hippocraticum

A primeira edição impressa de um texto antigo, grego ou latino, que anteriormente existia somente em manuscritos medievais ou bizantinos, é tradicionalmente chamada de editio princeps, i.e., ‘primeira edição’. A publicação dessas primeiras edições estão inseridas no renascimento cultural e humanístico da Renascença Europeia, fenômeno inicialmente restrito à Itália, à França e à Alemanha.

Entre 1455, data da impressão da Bíblia de Gutemberg, e 1488, só foram impressos textos latinos (Cícero, César, Virgílio, Plauto, etc.). Em 1488, Demetrius Chalcondyles editou a editio princeps de Homero ('Ὁμήρου τὰ σωζόμενα , lit. O que se salvou de Homero), financiada pelos irmãos Nerli e publicada por Bartolommeo di Libri em Florença, nesse mesmo ano. A fonte grega foi desenhada pelo calígrafo Demetrius Damilas. Alguns anos depois, a editio princeps de Hesíodo (só Os Trabalhos e os Dias, Florença, c. 1493) e a de Isócrates (Florença, c. 1493) foram publicadas; daí em diante, as primeiras edições de textos gregos apareceram em ritmo crescente.

Dentre as primeiras edições de textos gregos impressas na Europa, destacam-se as famosas edições Aldinas, preparadas em Veneza a partir de 1495 por Aldus Manutius (1449/1515) e por Lorenzo di Alopa. No século XVI, na Itália, na França, na Alemanha e na Suiça destacaram-se também as edições de Filippo di Giunta (Juntinas), as da família Estienne (sob o nome latinizado Stephanus), as de Johann e Hieronymus Froben e as de Hieronymus Commelinus.

Aldus Manutius foi, de longe, o mais prolífico de todos os editores renascentistas.

As edições Aldinas

Fig. 0101. Aldus Manutius.

A Editora Aldina foi fundada em 1495, em Veneza, por Aldo Pio Manuzio (1449/1515), usualmente conhecido pela forma latinizada do nome, Aldus Pius Manutius. Três gerações de sua família geriram a editora, que publicou textos clássicos até 1595. Aldus e seus sucessores, Paolo Manuzio e Aldo Manuzio, o Jovem, publicaram vinte e oito primeiras edições de textos gregos.

Devemos a Aldus Manutius a publicação de textos clássicos em volumes de formato menor, in octavo[1], relativamente baratos, e que na época tiveram impacto semelhante ao dos modernos livros de bolso, os pocket books. Devemos a ele, igualmente, o “tipo itálico”, criado por Francesco Griffo (1450/1518) em 1499 com a finalidade de economizar espaço (e não para enfatizar certas passagens do texto, como em nossos dias). O itálico apareceu pela primeira vez em uma edição de Virgílio, publicada em 1503.

Eis as características básicas das edições Aldinas de clássicos gregos:

  • capa dura;
  • na página de rosto, os dizeres In aedibus Aldi, ‘Editora Aldina’;
  • abaixo do sumário do volume (em grego e às vezes também em latim), quase sempre o colofão (âncora enlaçada por um golfinho);
  • Colofão das edições aldinas
  • prefácio em grego ou, mais raramente, em latim;
  • paginação relativamente simples, comparada à de outras publicações da época, com ornamentos pouco complexos no início do texto e na entrada dos capítulos;
  • a primeira letra do texto e dos capítulos em tipo maiúsculo, decorado como nos manuscritos medievais;
  • texto grego impresso em fonte especial, também criada por Francesco Griffo; embora ainda semelhante à escrita grega cursiva dos copistas medievais, esse tipo permitia leitura muito mais cômoda do que a dos manuscritos;
  • texto grego baseado em apenas um, ou em alguns poucos manuscritos;
  • ausência de notas e de aparato crítico.

A primeira editio princeps grega da Editora Aldina foi a de Aristóteles, publicada em cinco volumes entre 1495 e 1498.

Outras iluminuras

 
0989
Página da editio princeps de Aristóteles.
 
0377
Edição aldina de Ateneu.
 
1085
Edição de Ésquilo impressa por Henri Estienne.
Lyon, Biblioteca Municipal
 
1087
Edição de Sófocles impressa por Commelinus.

Notas

  1. A expressão in octavo (= 8vo ou 8°) se refere ao formato de um livro no qual o tamanho das folhas é um oitavo do tamanho da folha original. Uma folha dobrada uma vez tem 1/2 da folha, dobrada duas vezes tem 1/4 e dobrada três vezes, 1/8. O tamanho real do livro depende do tamanho da folha original, que variou muito desde a invenção da imprensa.

Referências

Domenico Maria Manni, Vita di Aldo Pio Manuzio, Venezia, Giambatista Novelli, 1759.

Créditos das ilustrações

i0464Edição aldina do Corpus hippocraticum → Ver comentários.
i0988Colofão da Editora Aldina → Ver comentários.
f0101Detalhe de gravura de Antonio Baratti S. Fonte: Manni (1759). Acervo: Ann Arbor, Biblioteca da Universidade de Michigan. → / Domínio público.
i0989Página da editio princeps de Aristóteles → Ver comentários.
i0377Edição aldina de Ateneu → Ver comentários.
i1085Edição de Ésquilo impressa por Henri Estienne → Ver comentários.
i1087Edição de Sófocles impressa por Commelinus → Ver comentários.

Links externos

Imprenta

Artigo nº 0838, publicado em 31/07/2009.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Editio princeps. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0838. Consulta: 19/02/2019.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 18/02/2019 ← novidades Contato Outras páginas do autor Créditos
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2019