Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Eratóstenes / Geografia

 
O mundo segundo Eratóstenes (-275/-195)

Os três volumes da Geografia (gr. Γεωγραφία) de Eratóstenes se perderam, mas dispomos de extensas informações sobre o texto graças ao geógrafo Estrabon, que viveu entre -64 e AD 19.

Esta sinopse se baseia, portanto, no testemunho indireto de Estrabon.

O ecúmeno

Para os gregos do século -III, o mundo habitado, o ‘ecúmeno’ (gr. οἰκουμένη) era uma porção definida da superfície da terra, situada no que hoje chamamos de hemisfério norte. Ao norte dela, frio excessivo e, ao sul, calor intolerável tornavam essas regiões inacessíveis ao homem. Segundo Siebold (2009, p. 5), a existência de terras e homens além dos limites conhecidos era “teoricamente possível, mas tratada como uma especulação inútil”.

Eratóstenes procurou ajustar as relações e distâncias entre as terras do ecúmeno em um globo dividido em zonas. Assinalou as variações da superície e criou um sistema de medidas apropriado ao formato esférico e procurou resolver algumas pendências que atribulavam os estudiosos que se dedicavam à Geografia.

Traçou a rota do rio Nilo até Cartum (Sudão) e foi o primeiro autor antigo a supor que o rio tinha origem em um lago e o primeiro a explicar, quase corretamente, que as cheias periódicas do Nilo eram provocadas por pesadas chuvas que caíam próximas à sua nascente. Descreveu também a “Arábia Feliz”[1] e suas raças.

O mapa-múndi

Com Eratóstenes, a confecção de mapas do mundo conhecido passou indubitavelmente a seguir métodos científicos. Os geógrafos anteriores haviam especulado livremente a respeito da extensão do ecúmeno; Eratóstenes, por sua vez, calculou em 38.000 estádios a extensão norte-sul, que ia de Tule (Islândia?) ao País da Canela (Etiópia / Somália) e em 74.000 estádios a extensão leste-oeste, das Colunas de Héracles[2] ao Oceano Oriental (Índico).

Aperfeiçoando um procedimento efetuado anteriormente por Dicearco (fl. -326/-296), traçou inicialmente uma linha imaginária entre a ilha de Rodes e as Colunas de Héracles; depois, uma linha perpendicular à primeira, também atravessando Rodes. Definiu então outras linhas paralelas a cada uma das duas primeiras, formando uma grade de retângulos de diferentes tamanhos que corresponde a um sistema primitivo de coordenadas cartesianas. Ao assinalar as localidades conhecidas, as diversas regiões assumiam formas geométricas irregulares — a Índia, por exemplo, era rombóide; a Ariana (Pérsia), um paralelogramo.

Apesar dos avanços obtidos, para os padrões modernos o mapa de Eratóstenes continha ainda muitos erros. O tamanho da maioria das regiões, por exemplo, estava fora de escala e o conceito de um oceano circular que envolvia toda a massa de terras não foi abandonado. Sua influência na cartografia grega dos séculos posteriores, porém, foi enorme. Consta que o próprio Júlio César recorria à sua obra para se orientar...

Edições e traduções

Seidel (1798) e Bernhardy (1822) reuniram e editaram as passagens da obra de Eratóstenes presentes em seu texto. Em português, nenhuma das traduções de partes da obra de Estrabon comtempla as passagens em que as contribuições de Eratóstenes são mencionadas.

Notas

  1. Arábia Feliz (lat. Arabia Felix, gr. Εὐδαιμονία Αραβία), ou Arábia ‘fértil’, é uma pequena península localizada no sudoeste da grande península arábica e que corresponde ao território do Iêmen e do Omã atuais. Na Antiguidade, era famosa pela exportação de mirra, incenso e canela. O principal reino da região no século -VIII, Saba (capital Marib, posteriormente Sana), tem algo a ver com o conhecido episódio bíblico da Rainha de Sabá e do rei Salomão (Reis 10.1-10).
  2. Colunas de Héracles (gr. Ἡράκλειοι Στῆλαι, lat. Columnae Herculis) era o nome do Estreito de Gibraltar na Antiguidade. Ele tem atualmente apenas 13 km de extensão, fica no extremo ocidental do Mediterrâneo e separa dois promontórios, um no sul da Europa (o rochedo de Gibraltar) e outro no norte da África (rochedo de Ceuta). Do outro lado está o Oceano Atlântico.

Referências

Jim Siebold, World according to Eratosthenes. URL: myoldmaps.com, atualizado em 15/08/2016. Data da consulta: 01/11/2016.

Créditos das ilustrações

i0725O mundo segundo Eratóstenes (-275/-195) → Ver comentários.

Imprenta

Artigo nº 0790
publicado em 17/02/2000. Atualização: 01/11/2016.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Eratóstenes / Geografia. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0790. Consulta: 26/03/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 25/03/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017