logo
1363
1363X

Nióbida ferida nas costas

-440/-430

Estátua de mármore de Paros. Horti Sallustiani (Piazza Sallustio), Roma

 
1363
Nióbida ferida nas costas / imagem principal
 
1363a
Cabeça e torso, vista frontolateral esquerda
 
1363b
Detalhe da cabeça e torso
 
1363c
Vista frontal
 
1363d
Nióbida correndo
AcervoRoma, Museu Nacional RomanoInventárioTerme 72274ImagemMary Harrsch, 21/03/2009FonteFlickRLicençaCC BY-NC-SA 2.0Iluminura1363
Comentários

Havia, originalmente, brincos de bronze e uma flecha cravada nas costas da moça (detalhes nas Ilum. 1363a-c). Trata-se, provavelmente, da mais antiga escultura grega que representa um corpo feminino desnudo e com certo apelo erótico.

A estátua foi reutilizada na Antiguidade, possivelmente levada a Roma no início da Era Augustana (-27/AD 14) pelo general Gaius Sosius e colocada no templo dedicado a Apolo Médico, cuja construção havia começado em -34 no Campo de Marte, foi dedicado por Augusto em -28 e posteriormente ficou conhecido como “templo de Apolo Susiano” (Gurval 1998, p. 115-20).

Ela originalmente adornava um templo da Ática ou, talvez, o templo de Apolo Dafnéforo em Erétria, não se sabe com certeza. É possível que duas outras esculturas fragmentárias conhecidas, conservadas em Copenhagen (Ny Carlsberg Glyptotek) tenham sido parte do grupo (uma delas está na Ilum. 1363d).

O estilo lembra o das esculturas encontradas no templo de Olímpia, mas o drapeado das vestes é mais elaborado (Boardman, 1991, p. 175).