Midas

Seção: mitologia grega
iiniRei Midas e acólito espreitam Sileno

A lenda de Midas (gr. Μίδας) originou-se, provavelmente, do contato entre os gregos e os frígios, que viviam na parte norte da Ásia Ocidental. Midas é o nome grego de Mita, rei de Mushki, personagem real que viveu na época de Sargão, rei da Assíria (-722/-705).

Das numerosas lendas que os gregos contam a respeito de Midas, duas são especialmente populares: a do toque de ouro e a das orelhas de burro.

O toque de ouro

Sileno, o velho sátiro que criara Dioniso, certa vez exagerou na bebida, adormeceu longe do cortejo que seguia o deus e foi encontrado por camponeses. Estes, assustados com seu aspecto, prenderam-no e levaram-no ao rei Midas. O rei reconheceu-o, no entanto, e apressou-se em libertá-lo, tratá-lo com grandes honras e devolvê-lo um pouco menos bêbado a Dioniso.

Agradecido, o deus concedeu ao rei a realização de qualquer desejo, e Midas não hesitou: quis que tudo que tocasse se transformasse em ouro. A seguir, entusiasmado, começou a transformar em ouro tudo o que via: pedras, flores, objetos do palácio, e assim por diante. Na hora do almoço, porém, sua alegria desapareceu: todos os alimentos e bebidas que tocava viravam ouro...

Faminto, morto de sede e desesperado, Midas recorreu a Dioniso, e o deus aconselhou-o a se lavar no rio Pactolo. Assim fez o rei e, logo depois, aliviado, voltou ao normal. Mas desse dia em diante, diz a lenda, o leito do rio Pactolo tornou-se riquíssimo em ouro...

As orelhas de burro

De outra feita, Midas foi juiz de uma disputa musical entre o deus Apolo e o sátiro Mársias. O rei declarou Mársias vencedor e Apolo, imediatamente, fez com que lhe crescessem duas belas orelhas de burro. Envergonhado, o rei passou a esconder as orelhas sob um chapéu, que não tirava em momento algum. Somente um dos servos, o barbeiro, conhecia a razão da nova mania do rei, mas não podia revelar a ninguém.

Certo dia, porém, inquieto diante da possibilidade de não se conter e deixar escapar tamanho segredo, o pobre homem cavou um buraco no chão, na margem de um rio, e contou a Gaia, a Terra, que o rei Midas tinha orelhas de burro. Depois de algum tempo, alguns caniços cresceram no local e, quando o vento passava por eles, murmuravam: "o rei Midas tem orelhas de burro"...