Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Simônides / Epigramas

TRADUÇÃO

Eis dois típicos exemplos de epigramas atribuídos a Simônides de Ceos; o primeiro é, efetivamente, anônimo; o segundo é o único deles que parece ser, realmente, de sua autoria. Ambos foram conservados por Heródoto (7.228).

Epitáfio dos espartanos nas Termópilas[1]
Ó estrangeiro, vá anunciar aos lacedemônios que aqui     jazemos, em obediência às suas regras. Simon. AP. 7.249
Epitáfio do adivinho Megistias
Este é o túmulo do renomado Megistias, que certa vez os Medos     mataram depois de atravessar o rio Esperqueios, o adivinho que previu com certeza seu destino[2]     e teve a coragem de não abandonar o rei de Esparta. Simon. AP. 7.677
TEXTO GREGO
a

Notas

  1. Segundo Heródoto, esse epigrama foi colocado no túmulo dos espartanos caídos nas Termópilas em -480 (Hdt. 7.228). Ver texto especial "Os espartanos nas Termópilas".
  2. Traduzi por ‘destino’ porque, no original, κῆρας está em minúsculas. Quer ou Queres, com Κ maiúsculo, eram divindades da morte ou do destino que termina em morte violenta / cruel. Mais informações → Desdobramentos de Nix e de ÉrisTheoi.com: Keres.

Imprenta

Artigo nº 0116
publicado em 15/02/1999.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Simônides / Epigramas. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0116. Consulta: 19/09/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 30/04/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017