logo

Diógenes Laércio 1.18.1-1.20.1

Seção: filosofia grega
D.L. 1.18.1-1.20.1200 / 250
grtexto grego

No Proêmio de sua obra (os primeiros 21 parágrafos), Diógenes Laércio esboça a origem da filosofia e das principais escolas filosóficas. A passagem a seguir apresenta as divisões da Filosofia, as principais escolas e seus fundadores.

Livro 1

18. As divisões da filosofia são três: Física, Ética e Dialética. A Física ocupa-se do universo e do que há nele; a Ética, da vida e do que se refere a nós; a Dialética, dos argumentos das duas divisões precedentes. Até o tempo de Arquelau, a Física era predominante; a partir de Sócrates, como foi dito, a Ética; e a partir de Zênon de Eleia, a Dialética. Da Ética surgiram dez escolas[1]: A Acadêmica, a Cirenaica, a de Élis, a Megárica, a Cínica, a de Erétria, a Dialética, a Peripatética, a Estoica, a Epicureia.

19. Platão liderou a Academia Antiga; Arquesilau, a Média; Lacides, a Nova; Aristipo, o Cirenaico, a Escola Cirenaica; Fédon de Élis, a de Élis; Euclides de Mégara, a Megárica; Antístenes de Atenas, a Cínica; Menedemo de Erétria, a de Erétria; Clitômaco de Cartago, a Dialética; Aristóteles de Estagira, a Peripatética; Zênon de Cítio, a Estoica; a Epicureia é assim chamada a partir do próprio Epicuro. Hipoboto, no seu Das Escolas[2], disse que as escolas ou sistemas são nove: a primeira é a Megárica; a segunda, a de Erétria; a terceira, a Cirenaica; a quarta, a Epicureia; a quinta, a Anicereana; a sexta, a Teodoreana; a sétima, a de Zeno e dos Estoicos; a oitava, a Academia Antiga; a nona, a Peripatética — sem contar nem a Cínica,

20. nem a de Élis e nem a Dialética. E a Pirrônica também não, pois a maioria a considera obscura. (...)