Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Aristófanes / Pluto 653-741

TRADUÇÃO

Nesta passagem, o poeta descreve a cura da cegueira de Pluto, deus da riqueza, em um dos templos de Asclépio. A tradução, em prosa, é de Américo da Costa Ramalho (1999).

CARION   Logo que chegamos junto do deus, levando este que era então o mais desgraçado dos homens, e agora bem-aventurado e feliz mais do que nenhum outro, em primeiro lugar conduzímo-lo ao mar, depois lavámo-lo. MULHER   Sim, por Zeus, estava mesmo feliz um homem velho lavado com água fria do mar. Ca. Depois fomos ao recinto sagrado do deus. E quando sobre o altar foram consagrados bolos e oferendas, farinha sagrada que ardeu no fogo de Hefesto, colocamos Pluto, como é natural. E cada um de nós arranjou um leito de folhagem. Mu. Havia também outros que rezavam ao deus? Ca. Um, pelo menos, Neoclides que é cego, mas ultrapassa em roubalheira os que vêem. E muitos outros, cada um com sua doença. E quando apagou as lucernas e nos mandou dormir, o criado do deus, dizendo nos calássemos, se alguém ouvisse um ruído, todos nós nos deitamos sossegadamente. (...) Depois, eu cobri-me depressa, com medo, e ele andou em volta observando as doenças, em muito boa ordem. Em seguida, um escravo apresentou-lhe um almofarizinho de pedra e um pilão e uma caixinha. (...) Depois disso, ainda se sentou ao lado de Pluto, e, para começar, tocou-lhe na cabeça. Em seguida, pegou num pano limpo e limpou-lhe as pálpebras em volta. Quanto a Panaceia, cobriu-lhe a cabeça com um pano vermelho, assim como todo o rosto. Depois, o deu assobiou. Logo saltaram do templo duas serpentes de enorme grandeza. Mu.Oh bons deuses! Ca. As duas introduziram-se sossegadamente sob o pano vermelho e lambiam-lhe as pálpebras, ao que me parecia. E em menos tempo do que tu precisas para beber dez copos de vinho, Pluto, oh senhora, erguera-se e via. Eu, por mim, bati as palmas de prazer e acordei o meu senhor. O deus rapidamente desapareceu, ele e as serpentes, para o templo.
TEXTO GREGO
a

Referências

A.C. Ramalho, Aristófanes. Pluto (A Riqueza), Brasília, Ed. UnB, 1999.

Imprenta

Artigo nº 0251
publicado em 20/02/2000.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Aristófanes / Pluto 653-741. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0251. Consulta: 27/04/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 25/03/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017