Plotino

Seção: filosofia grega
Πλωτῖνος Plotinus Phil. Plot.
página esquemática / provisória

Plotino é considerado o fundador do neoplatonismo.

Viveu entre 204/5 e 270, aproximadamente, e foi discípulo de Amônio Saccas (fl. sæc. III) de 232 a 243, em Alexandria. Esteve na Índia e de 245 em diante viveu em Roma, depois na Sicília e finalmente na Campânia, onde faleceu.

iPlotino

Juntamente com Platão e Aristóteles, Plotino foi um dos grandes filósofos da Antiguidade. Teve seguidores importantes, como alguns senadores romanos, mas Porfírio (c. 234/305) foi seu mais importante discípulo.

O principal conceito filosófico defendido por ele era o Uno, princípio supremo e transcendente que englobava tanto o ser quanto o não ser e a partir do qual toda a realidade emergiu, mas não a partir de um ato de criação.

Note-se que o cristianismo tem diferentes conceitos sobre a a origem do universo e que nunca foi mencionado por ele.

Os escritos de Plotino chegaram até nós através de uma edição de Porfírio, que dividiu artificialmente o texto em seis grupos de nove tratados, daí o título tradicional de Enéades.

Edições e traduções

As principais edições modernas completas são as de Bréhier (1924/1938), Henry & Schwyzer (1964/1982), Armstrong (1968/1988) e Brisson & Pradéau (2002/2010).

Não há nenhuma tradução completa para o português. No século XX, alguns tratados isolados foram traduzidos a partir da versão inglesa ou francesa, e um grupo maior — 12 tratados — por Sommerman (2000).

Em 2003, Luciana Soares traduziu Acerca da beleza inteligível (Plot. 5.8 = 31) diretamente do grego, assim como Seabra Filho e Maia Jr., que em 2014 traduziram a primeira Enéada e seus nove tratados.