Novo Testamento / Apocalipse

Seção: literatura grega
Ἀποκάλυψις Apocalypsis Ioannis Apoc.
iiniApocalipse de João

Esse célebre livro do Novo Testamento, típico da literatura profética dos judeus dos séculos -II/-I e do cristianismo primitivo, tem vários pontos em comum com o Antigo Testamento e é tradicionalmente atribuído ao autor do evangelho de João.

Não é possível, no entanto, que os dois textos tenham sido escritos pelo mesmo homem, e por isso o nome do autor deve ficar entre colchetes: [João].

Acredita-se que foi escrito por volta de 95, mas algumas partes podem ser mais antigas, dos primeiros anos da década de 60 (Ehrman, 2004).

Resumo

O texto tem a forma de uma carta dirigida às igrejas da Ásia e contém a descrição de visões e profecias. De forma altamente simbólica, descreve o fim dos tempos, o julgamento final dos homens e das nações (Juízo Final), a volta de Jesus e seu triunfo definitivo sobre os poderes do mal.

Plano básico do texto:

  1. Prólogo
  2. O presente (cartas às igrejas)
  3. O futuro

O futuro, por sua vez, tem o seguinte desenvolvimento:

  • Visão do juiz supremo e da corte
  • O livro selado e o cordeiro
  • Os seis selos
  • A multidão dos assinalados
  • O sétimo selo e as trombetas
  • A tribulação da igreja militante
  • A medição do templo
  • A mulher e o dragão
  • As duas bestas
  • O cordeiro e os resgatados
  • O cântico de vitória
  • A prostituta e a besta
  • A queda de Babilônia
  • O céu celebra o triunfo
  • A derrota do dragão e o milênio
  • Os novos céus e a nova terra

A despeito do fundo eminentemente religioso, a exploração de temas maravilhosos como os combates entre "deuses" (anjos, arcanjos) e monstros fantásticos situa essa obra mais apropriadamente no universo puramente mítico da literatura fantástica do que no universo religioso.