logo

Novo Testamento / Evangelho de João

Área: literatura grega
Κατὰ Ἰωάννην εὐαγγέλιον Evangelium secundum Ioannem Ev. Jo. 90 / 100
 
Papiro Rylands 52
página em construção

O Evangelho de João (gr. Κατὰ Ἰωάννην εὐαγγέλιον) é o quarto evangelho canônico do Novo Testamento e apresenta características distintas dos evangelhos sinópticos: não dá ênfase aos aspectos históricos e sim ao significado dos episódios da vida de Jesus para a fé cristã.

O texto foi escrito entre 90 e 110, provavelmente em Éfeso, ou talvez na Síria, e contém um Apêndice, escrito posteriormente por outra pessoa, talvez um dos antigos editores dos Evangelhos. Há, ainda, uma célebre interpolação feita no século IV, ou ainda mais tarde: o episódio da mulher adúltera (8.1-11).

Notáveis diferenças entre João e os evangelhos sinópticos são a ausência das parábolas e dos exorcismos e a presença de alegorias (a mais conhecida é a do Bom Pastor, 10.1-21). De modo geral, João omite cerca de 90% das informações presentes nos demais evangelhos.

Resumo

O texto relata a vida de Jesus em quatro partes: Prólogo, Livro dos Sinais, Paixão e Epílogo (ou Apêndice).

o Prólogo (1.1-18) é, na realidade, um hino que identifica Jesus com a palavra (gr. λόγος) e com Deus. O Livro dos Sinais (1.19-12.50) relata as atividades públicas de Jesus, descrevendo sete milagres, entremeados de longos diálogos e discursos, inclusive alguns de seus ensinamentos. A Paixão (13-20) descreve a Última Ceia e o discurso de despedida de Jesus, a prisão, a crucificação, o sepultamento e a ressurreição. No Epílogo (21), descreve-se o aparecimento de Jesus aos discípulos, na Galileia.

Manuscritos, edições, traduções

O mais antigo fragmento do Evangelho de João é o P. Rylands 52, datado da primeira metade do século II (entre 125 e 160, provavelmente) e conservado atualmente na John Rylands University Library, em Manchester (Reino Unido).

 

leia mais