logo

Magna Græcia, a ‘grande Grécia’

Seção: geografia grega200 palavras
iiniA Grande Grécia vista do céu

Magna Graecia, a ‘Grande Grécia’ (gr. Μεγάλη Ἑλλάς), é a denominação dada pelos romanos ao conjunto de comunidades fundadas pelos gregos no sul da península italiana, em algumas pequenas ilhas da costa oeste e em grande parte da Sicília a partir do século -VIII.

Em nossos dias, as áreas ocupadas pelos gregos na Antiguidade correspondem às regiões costeiras da Campania, Apulia, Basilicata e Calabria, na extremidade meridional da península italiana, e às regiões norte, leste e sul da Sicília.

Fig. 0171

As principais comunidades gregas do século -VIII ao século -III da península italiana durante a Idade das Trevas e os Períodos Arcaico e Clássico eram Pitecusas (atual Ísquia), Cumas, Régio, Síbaris, Crotona, Neápolis (atual Nápoles), Acragás, Posidônia (Paestum), Taras (Tarento), Lócrida Epizefiriana, Túrios, Eleia e Bari, entre outras.

Na Sicília, as mais importantes póleis eram Catane, Gela, Himera, Leontinos, Mégara Hibleia, Naxos, Selinos (Selinunte), Siracusa e Zancle (Messina).

As póleis da Magna Graecia tiveram papel decisivo na difusão da cultura grega entre todos os povos da península italiana e Sicília, notadamente os romanos. No século -III, após sucessivos conflitos entre fenícios, gregos e romanos, a República Romana dominou toda a região.

Magna Grécia, Magna Grecia, Magna Græcia