Entrevista com Jacques Barzun

Seção: introdução à grécia antiga
iiniJacques Barzun em 1959

A edição 1746 da Revista Veja (10 de abril de 2002) trouxe uma notável entrevista com o veterano historiador americano de origem francesa Jacques Barzun (1907/2012).

Para nós interessa, especificamente, a resposta de Barzun à última pergunta do entrevistador:

O que o futuro reserva aos clássicos?

Barzun — Os clássicos parecem estar afundando rapidamente no esquecimento. Mas isso já aconteceu antes. A Renascença trouxe de volta obras da Antiguidade que estavam completamente perdidas. Não há motivo para um pessimismo terminal.

É preciso persistir no ensino dos clássicos. Não é fácil, já que uma quantidade básica de informação histórica se faz necessária para que as obras não sejam vistas fora da perspectiva adequada e completamente distorcidas. Mas os benefícios são óbvios.

Ler os clássicos é um maravilhoso exercício de imaginação.

Essa opinião, vinda de um historiador que trabalha com História Moderna e Contemporânea é, sem dúvida, animadora...