217b
0217bX

Medusa, Pégaso e Crisaor

-580

Relevo de calcário do frontão oeste do templo de Ártemis. Corfu
Detalhe: Crisaor

 
0217
Medusa, Pégaso e Crisaor / imagem principal
 
0217a
Aspecto do frontão com fragmentos disponíveis
 
0217b
Detalhe: Crisaor
 
0217c
Detalhe: pantera e parte de Pégaso
AcervoMuseu Arqueológico de CorfuImagemDr. K., 29/08/2007Fonte / ©Wikimedia CommonsLicençaCC BY-SA 3.0Iluminura0217b

Comentários

Medusa (ou simplesmente "a górgona"), monstro decapitado por Perseu, é um dos mais antigos temas da decoração dos vasos gregos. Segundo convenções da época, a postura das pernas indica que ela está correndo com rapidez. Trata-se, aqui, de "licença poética" do artista, pois foram as irmãs de Medusa, após sua morte, que perseguiram Perseu e são habitualmente representadas nessa "postura de corrida".

Sabemos que se trata de Medusa por causa de outras imagens conhecidas em que ela é representada dessa maneira, junto aos filhos. Aqui, Pégaso estava sob a mão direita (boa parte da figura se perdeu) e Crisaor, sob a mão esquerda (resta uma parte um pouco maior). Ambos nasceram após a morte da Górgona, mas no relevo de Corfu estão ao lado da mãe, ainda viva.

A cabeça de Medusa, com os cabelos em forma de serpente e a língua de fora, compõe uma imagem conhecida por gorgoneion, muito utilizada pelos artistas gregos nos mais diversos materiais.

A Fig. 0217a supra mostra uma reconstituição do frontão oeste e as iluminuras de iluminuras relacionadas, gorgoneions e outras representações das górgonas.