Os pré-socráticos e a astronomia

Seção: ciência grega
iiniCometa Levy (1990c)

Os filósofos pré-socráticos tinham grande interesse nos astros, especialmente em sua natureza e em sua origem. De Tales a Demócrito e Leucipo, praticamente todos estudaram de alguma maneira os corpos celestes e enunciaram alguma teoria.

Algumas de suas afirmações foram posteriormente comprovadas, como a de Heráclito, que postulava a existência de numerosas luas e de muitos sóis, e a de Anaxágoras, que percebeu que é o Sol quem dá brilho à Lua; Anaximandro, no entanto, dizia que a Terra era cilíndrica.

Filolau de Crotona é um exemplo típico de erros e acertos. Errou ao postular que existia uma Antiterra, em tudo contrária à nossa, mas acertou ao dizer que a Terra, ao fazer um movimento circular em volta do fogo central, dava origem ao dia e à noite...

Empédocles, Filolau de Crotona e Parmênides chegaram a imaginar verdadeiros sistemas astronômicos. Sabe-se, aliás, que o sistema do eleata Parmênides teve grande influência durante o Período Clássico.

Uma característica comum a quase todos os filósofos pré-socráticos é a natureza puramente teórica de suas especulações. Poucos se dedicaram a estudos astronômicos práticos, como por exemplo o milesiano Tales, que previu um eclipse solar[1] [2].