Ilíada / Médicos humanos e divinos

Seção: ciência grega
Il. 11.841-8;12.1-2;5.899-904
gr
texto grego

Nesses dois trechos, exemplos de tratamento médico de pacientes mortais e imortais. Observe-se que o os médicos humanos dispensavam aos pacientes mortais o mesmo tratamento que o médico dos deuses recomendava a seus clientes.

A tradução do grego para o francês, em prosa, é de Eugène Lassère; a versão portuguesa é de O.M. Cajado e a recomposição do texto em versos foi efetuada por mim. Providenciarei, no futuro, tradução direta do texto grego original.

O humano Dr. Pátroclo
Apesar disso, não te deixarei assim exausto. Disse, e erguendo-o pelo peito, levou o pastor de tropas à barraca; um serviçal, que os viu, estendeu no chão couros de bois. Pátroclo neles deitou Eurípilo. De sua coxa arrancou, cortando-a 845 com o punhal, a farpa aguda, acerada. Lavou o sangue negro com água tépida, e sobre a chaga colocou uma raiz amarga, triturada por suas próprias mãos, calmante que acalmou todas as dores; então o sangue estancou e a ferida secou.
1 Assim, na barraca, o valente filho de Menetes cuidava de Eurípilo ferido. Il. 11.841-8 e 12.1-2
O divino Dr. Pean
Assim falou, e ordenou a Pean que o aliviasse. 900 E Pean, espalhando sobre a ferida remédios[1] calmantes, curou-o, pois ele não era mortal. Assim como um suco, agitado no leite branco o faz coalhar e rapidamente o altera, feita a mistura, assim prontamente curou o impetuoso Ares. Il. 5.899-904