Græcia Antiqua

Estoá pintada de Atenas

X
1032
exp
Reconstrução esquemática, baseada na arqueologia (Camp, 2003, p. 43). Atenas, ágora.
C. -400
grupo
imagem
W.B. Dinsmoor Jr., 1981
græcia antiqua
Iluminura 1032

A estoá pintada (gr. στοά ποικίλη) de Atenas, construída no século -V, era um pórtico ornamentado com colunas dóricas e iônicas[1] e ficava na parte norte da ágora.

O pórtico se tornou célebre devido a cenas das batalhas de Enôe e Maratona, da queda de Troia e da luta dos atenienses contra as Amazonas, entre outras, pintadas provavelmente por Micon de Atenas e Polignoto de Tasos.

O filósofo Zênon de Cítio (c. -333/-262) ensinava diante desse pórtico, que resistiu até meados do século IV. Décadas antes de sua demolição, o procônsul romano mandou retirar as pinturas do local.

notas
  1. A Estoá (gr. στοά) é uma colunata alongada e aberta, às vezes com uma parede em um dos lados e/ou um telhado, situada geralmente em santuários ou mercados para abrigar as pessoas do sol, da chuva e do vento. Além de lugar informal para encontros, servia também para ponto comercial e reuniões de diversos tipos.
    N.b.: a palavra estoá, de origem grega e correspondente à forma latina stoa, não está dicionarizada. Para evitar a mera transcrição, decidi aportuguesar a palavra grega através do mesmo mecanismo linguístico que originou as palavras “estase”, do grego στάσις, e “estoico”, do grego στωϊκός.
referências
J. Camp, The Athenian Agora, a Short Guide to the Excavations, Princeton, The American School of Classical Studies at Athens, 32003, p. 43.
a iluminura no portal
imprenta
Ilustração nº 1032, publicada em 16/06/2013. Última atualização: 06/10/2014.Licença dos comentários: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Estoá pintada de Atenas. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/img.asp?num=1032. Consulta: 18/11/2019.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 12/09/2019 ← novidades Contato Outras páginas do autor Créditos
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2019