Græcia Antiqua
i0955
Lamentação e cortejo fúnebre
-750 / -700
Cratera ática com decoração geométrica atribuída ao ateliê de Hirchfeld.

A cena de funeral — lamentação[1] e cortejo fúnebre —, com a presença de carruagens e guerreiros com escudos, era tema recorrente entre os decoradores de vasos do Geométrico Recente. No final da Idade das Trevas, os monumentos fúnebres mais comuns eram os grandes vasos com decoração geométrica; somente depois de -650, em pleno Período Arcaico, as esculturas de pedra começaram a ser usadas como marcos para sepulturas.

Veja também outros vasos geométricos e arcaicos com temas semelhantes em iluminuras relacionadas.

Legenda original do museu
Krater, ca. 750-700 B.C., Geometric, attributed to the Hirschfeld Workshop. Greek, Attic, Rogers Fund, 1914 (14.130.14)]

notas
  1. A lamentação é tema comum nas obras artísticas da Idade Média e do Renascimento que representam os lamentos de Maria e outros personagens em torno do corpo morto de Cristo. Em geral é a arte cristã que recorre a temas e convenções da arte grega; aqui, tomei emprestado um termo usualmente restrito à arte cristã para traduzir a palavra grega πρόθεσις — que originou a palavra portuguesa “prótese” —, que designa a parte da tradicional cerimônia fúnebre grega na qual mulheres da casa choravam de forma exagerada o morto diante de seu corpo, antes do cortejo fúnebre.
    Imagem: óleo sobre tela de David Kindt, 1631. Paris, Museu do Louvre, A. Dequier & M. Bard, cl / uso não comercial.
a iluminura no portal
iluminuras relacionadas
 
Lamentação e cortejo fúnebre I.
 
Lamentação e cortejo fúnebre II.

Imprenta

Ilustração nº 0955
publicada em 20/07/2006.
Licença dos comentários: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Lamentação e cortejo fúnebre. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/img.asp?num=0955. Consulta: 22/11/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 10/11/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017