logo
543
0543X

Jovem tocando flauta para sátiro

1609/1664

Lápis e pincel sobre tinta a óleo de Giovanni Benedetto Castiglione (1609/1664)

AcervoNew York, Museu Metropolitano de ArteInventário62.126FonteThe Metropolitan Museum of ArtLicençaDomínio públicoIluminura0543
Comentários

O artista retratou o idealizado e bucólico mundo dos pastores gregos através da imagem de um jovem tocando flauta em meio a luxuriante vegetação. Diante dele, um sátiro cansado segura languidamente sua própria flauta e ouve atentamente, o que evoca as amigáveis disputas musicais retratadas nos famosos idílios de Teócrito.

Segundo o comentarista do Metropolitan, o sátiro pode estar representando ou Mársias, e o jovem, Apolo, Olimpo ou Dáfnis. A obra seria uma alusão ao contraste entre o espírito apaixonado do dionisíaco ( está ligado a Dioniso) e a clareza da razão do apolíneo. Segundo os humanistas da Renascença e do Barroco, são esses os dois impulsos opostos que constituem a criatividade artística.

Essa antinomia entre o apolíneo e o dionisíaco seria posteriormente estendida a diversas outras áreas do saber pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844/1900).

Etapa cultural: Barroco.

Legenda original Giovanni Benedetto Castiglione ("Il Grechetto", b. Genoa 1609 - d. Mantua 1664), Italian. Brush with colored oil paint; paper partly saturated with oil; lined; 16 x 21-1/16 in. (40.6 x 53.5 cm). Gustavus A. Pfeiffer Fund, 1962 (62.126).