logo
441
0441X

Orestes, Apolo e as Erínias

-380/-370

Cratera de figuras vermelhas da Apúlia, atribuída ao Pintor das Eumênides / cena A

AcervoParis, Museu do LouvreInventárioCp 710Imagem“Bibi Saint-Pol”, 21/07/2007FonteWikimedia CommonsLicençaDomínio públicoIluminura0441
Comentários

No centro, Apolo purifica Orestes, recostado no ônfalo de Delfos, com o sangue de um porco. À esquerda, a sombra de Clitemnesta procura acordar duas adormecidas Erínias. O estilo das figuras humanas pintadas (rosto arredondado, traço descuidado e atitude afetada) é característico das décadas finais do Período Clássico.

O deus Apolo não apresenta seus atributos habituais e nem se vê as asas das Erínias. A purificação do homicídio através do sangue do porco e os demais detalhes da cena se baseiam na versão da lenda de Orestes apresentada por Ésquilo em -458, na tragédia Eumênides.

Veja outra cena de vaso com o mesmo tema em links externos e versão neoclássica das Erínias e de Orestes em iluminuras relacionadas.