Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Esopo / Fábula 155

TRADUÇÃO

As fábulas de Esopo com animais falantes são indubitavelmente as mais conhecidas. Esta (Perry 155 = Chambry 221) é uma das mais famosas e foi imitada por Babrius (89), por Fedro (1.1.) e por La Fontaine (Livro I, fábula 10).

155. O lobo e o cordeiro

Fig. 0104

Um lobo viu um cordeiro bebendo no rio e quis devorá-lo por meio de motivo bem fundamentado. Assim, colocou-se mais acima e depois o acusou de turvar a água e não lhe permitir beber. O cordeiro disse que bebia com o extremo do lábio e, além disso, não é possível do lado de baixo turvar a água do lado de cima. O lobo, falhando na acusação, disse: Mas no ano passado você injuriou meu pai. E quando o cordeiro respondeu que nessa época nem tinha nascido, o lobo disse: Se você tem justificativas de mais, não te comerei de menos.

A fábula mostra que, para aqueles cujo propósito é injusto, nenhuma justificativa tem valor.

TEXTO GREGO
a

Referências

The Æsop for Children with pictures by Milo Winter, Chicago, Rand McNally & Co., 1919.

Créditos das ilustrações

0104Desenho de Milo Winter (1919, p. 42). Fonte: Project Gutenberg/ Domínio público.

Imprenta

Artigo nº 1099
publicado em 19/11/1997. Atualização: 28/07/2015.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Esopo / Fábula 155. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=1099. Consulta: 25/03/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 19/02/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017