Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Eurípides / Alceste 509-50

TRADUÇÃO

Passagem do 3º episódio, traduzida há algum tempo para meu Doutorado (Ribeiro Jr., 2011, p. 142-3).

Admeto procura enganar Héracles, para evitar que ele procure outro hospedeiro (538), o que seria uma ‘desgraça’ (539). Héracles não quer incomodar o amigo, mas Admeto faz questão de ser incomodado (509-50)...

ADMETO  Salve, filho de Zeus, do sangue de Perseu! HÉRACLES 510  Também te saúdo, Admeto, (feliz) senhor dos Tessálios! Ad.Eu gostaria de ser; conheço bem tua amizade por mim. Hr.Qual o motivo da cabeça raspada, do evidente luto? Ad.Devo, ainda hoje, sepultar um morto. Hr.Que o deus afaste a desgraça de teus filhos! 515 Ad.Estão vivos e em casa os filhos que gerei. Hr.Teu pai realmente estava na idade, se foi ele que partiu. Ad.Meu pai vive e também aquela que me deu à luz, ó Héracles. Hr.Não foi Alceste, tua esposa, quem morreu? Ad.Dupla é a história que, sobre ela, posso te contar. 520 Hr.Disseste que ela está morta, ou que ainda está viva? Ad.Ela existe e não mais existe, o que me causa dor. Hr.Não compreendo nada, realmente; dizes coisas obscuras. Ad.Não sabes do destino que está reservado a ela? Hr.Sei, ela se dispôs a morrer em teu lugar. 525 Ad.Como pode então estar viva, se concordou com isso? Hr.Ah, não chores tua esposa, espera o momento certo. Ad.Quem está para morrer, está morto; quem morreu, não mais existe. Hr.Existir e não existir são consideradas coisas bem diferentes. Ad.Tu fazes a distinção, Héracles, mas eu interpreto assim. 530 Hr.Quem lamentas, então? Qual ente querido morreu? Ad.Uma mulher; falávamos precisamente de uma mulher. Hr.Estrangeira, ou alguém que nasceu em tua família? Ad.Estrangeira, mas ligada à minha casa. Hr.E como, em tua casa, perdeu ela a vida? 535 Ad.Morto o pai, foi criada aqui como órfã. Hr.Ah, Admeto, se eu tivesse te encontrado livre de angústias... Ad.O que vais fazer? Que história é essa? Hr.Vou me dirigir ao lar de outro hospedeiro. Ad.Meu senhor, não! Que essa desgraça não me aconteça. 540 Hr.Na hora da angústia, um hóspede que chega é inoportuno. Ad.Os que morreram, mortos estão. Entra na casa! Hr.É vergonhoso hóspedes festejarem ao lado dos que choram. Ad.Os quartos de hóspedes ficam à parte, (para lá) te levaremos. Hr.Deixa-me ir e ficarei infinitamente grato a ti. 545 Ad.Não, não deves ir para o lar de outro homem.  Tu, conduze-o aos quartos de hóspedes mais  afastados da casa, abre e aos atendentes diz para  disponibilizar alimento em abundância. Fechai bem  as portas internas: não é conveniente aos que festejam 550  ouvir suspiros, e nem aos hóspedes se afligir.
TEXTO GREGO
a

Referências

Wilson A. Ribeiro Jr., Enganos, enganadores e enganados no mito e na tragédia de Eurípides, Tese de Doutorado, São Paulo, USP, 2011.

Imprenta

Artigo nº 0976
publicado em 02/11/2014.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Eurípides / Alceste 509-50. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0976. Consulta: 25/03/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 19/02/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017