logo

A medicina greco-romana

-30 / 529
 
O médico Jasão examina uma criança
página em construção

A despeito da persistência do dogmatismo, do metodismo e do empiricismo, surgiram o pneumatismo e o ecleticismo. Mesmo assim o prestígio dos textos médicos da coleção hipocrática se manteve relativamente inabalável até a época de Galeno de Pérgamo, que clinicou em Pérgamo e em Roma.

Galeno (129/200) analisou criticamente diversos tratados hipocráticos, fez numerosas descobertas em Anatomia e Fisiologia e aperfeiçoou o método de exame dos doentes.

Também se destacaram Asclepíades de Bitínia (c. -129/-40), Temison de Laodiceia (fl. séc -I), Dioscorides (sæc. I), Rufo de Éfeso (fl. final do sæc. I), Arquígenes (c. 100), Areteu da Capadócia (sæc. I), Sorano de Éfeso (c. 98/138) e, já no declínio do Império Romano, Oribásio (325/403).

Dioscorides escreveu um extenso catálogo de plantas medicinais, Materia Medica, que se tornou especialmente famoso durante a Idade Média. Sorano de Éfeso escreveu sobre Ginecologia, Pediatria e doenças mentais. Os mais prestigiosos tratados médicos desse período foram, porém, os numerosos textos de Galeno, escritos em grego; durante a Idade Média, chegaram a ter mais prestígio e autoridade do que a coleção hipocrática.

 

leia mais