logo
\ 470 palavras

As escritas gregas

 
Cena de caça ao javali e outras figuras

Durante grande parte de sua existência, a língua grega era apenas falada e as comunidades que a utilizavam transmitiam oralmente seus elementos culturais. Só depois de 1500 aC a escrita, que existia há milênios na Ásia Ocidental, foi finalmente adotada pelos gregos

O grego antigo já foi escrito por meio de dois silabários, a escrita linear B e o silabário cipriota, mas desde o final da Idade das Trevas os gregos utilizam somente uma escrita do tipo alfabético. Todos os alfabetos ocidentais, inclusive o alfabeto latino, cujos caracteres você lê neste momento, derivam dos primeiros alfabetos gregos.

Na Ásia Ocidental

Diversas culturas do Oriente Médio desenvolveram sistemas de escrita no final do IV milênio aC, e ainda há controvérsias a respeito da prioridade dos egípcios ou dos sumerianos.

pictograma egípcio
    -2700/-2460


linear B micênica
    -1400/-1300


letras fenícias
    sæc. -XI

Os primitivos sistemas de escrita usados por sumérios, acadianos, egípcios e outros povos eram sofisticados e, ao mesmo tempo, complexos (Fig. 0027, ao lado). Baseavam-se em grande quantidade de sinais pictográficos (ideogramas), e cada sinal representava tanto o objeto concreto como o conceito subjacente. O pictograma egípcio ao lado, por exemplo, era usado para representar tanto “escriba” como “escrita”.

Os sistemas pictográficos orientais foram logo simplificados e surgiram os silabários, nos quais cada sinal representava o som de uma sílaba. Exemplos orientais são o hitita, da Ásia Menor, e a escrita linear A, de Creta.

No Oriente Médio, por volta de -1550 (ou, talvez, -1850), apareceram as primeiras inscrições com possíveis representações de sons vocálicos, inspiradas possivelmente na escrita egípcia. Nesses primitivos alfabetos, como o proto-sinaítico e o ugarítico, cada sinal representava um som e, praticamente, apenas sons consonantais. Nas poucas inscrições proto-sinaíticas conhecidas há, todavia, traços da representação de sons vocálicos, pelo menos no entender de alguns eruditos.

O alfabeto fenício, desenvolvido no século -XI, aproximadamente, aparentemente deriva do proto-sinaítico, às vezes chadado de proto-canaanita.

A escrita entre os gregos

O primeiro sistema de escrita da Grécia foi um silabário conhecido por escrita linear B. O sistema, utilizada durante o Bronze Recente, foi certamente desenvolvido pelos micênios, inspirados pela escrita linear A dos minoicos da ilha de Creta.

Em Chipre utilizou-se também um silabário derivado da linear A minoica para a notação do dialeto árcado-cipriota entre os séculos -XI e -IV, o silabário cipriota.

No século -IX ou -VIII, as frequentes relações comerciais entre os gregos e os fenícios da sírio-palestina ensejaram o encontro dos gregos com o alfabeto consonantal dos fenícios, logo adotado por eles. Os gregos adaptaram os sinais fenícios aos sons de sua língua e acrescentaram uma importantíssima inovação: aproveitaram os sinais fenícios que “sobraram” e utilizaram-nos para representar os sons vocálicos.

O alfabeto grego, plenamente desenvolvido no início do Período Arcaico, foi o primeiro alfabeto verdadeiro, completo, com sinais que representavam tanto as consoantes como as vogais.

leia mais