Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Os biógrafos

 
Galeno (129/200)

As biografias (do gr. βίος, ‘vida’), que em nossos dias constituem um gênero aparentado à historiografia, na Grécia Antiga devem ser conceituadas de forma muito mais literária e muito menos histórica do que as modernas biografias.

Tanto as anônimas uitae (‘vidas’) anexadas aos manuscritos de filósofos, poetas, escritores e historiadores, quanto os detalhados relatos de Plutarco (46/120) e de Diógenes Laércio (200/250) sobre personagens históricos são, em grande parte, exagerados, fictícios ou, com frequência, baseados apenas em extravagantes anedotas.

Em alguns casos, e.g. na Ciropédia de Xenofonte (c. -428/-355) e nos anônimos relatos sobre a vida de Alexandre III, iniciados possivelmente pelo Pseudo-Calístrato (sæc. -III), a biografia grega se mistura extensivamente com o romance histórico. A Vida de Apolônio, de Filóstrato (172/250), é um caso à parte, pois tem pontos de contato com o romance histórico e com a hagiografia.[1]

Em certa medida, a Odisseia de Homero é o mais antigo texto conhecido a respeito da vida de alguém: dados sobre o nascimento, a juventude, o casamento e as principais aventuras do herói Odisseu são fornecidos ao longo do poema, embora de forma não sistemática. Pequenas biografias de personagens certamente históricos, por sua vez, podem sem encontradas em Heródoto (-484/-425), em Tucídides (c. -460/-400), em Isócrates (-436/-338) e em muitos outros autores clássicos, helenísticos e do Período Greco-romano.

Nem todos os autores de biografias, curtas ou extensas, são bem conhecidos por nós e de alguns deles restam apenas fragmentos e curtas passagens: Estesímbroto (c. -470/-420), Ptolomeu I Sóter (-367/-282), Dicearco (c. -350/-285), Aristóxenes de Tarento (fl. -335), Antígono de Caristo (fl. sæc. -III) e Sátiro (fl. sæc. -II).

O médico Galeno (129/204) parece ter sido o primeiro a escrever formalmente uma autobiografia mas, muito antes dele, os fragmentos dos poetas líricos arcaicos e a Anábase de Xenofonte contêm, obviamente, numerosos elementos autobiográficos.

Note-se, finalmente, que os relatos do Novo Testamento sobre a vida de Jesus Cristo (-7/30) também devem ser, do ponto de vista literário e histórico, incluídos nesse abrangente e heterogêneo gênero que intitulamos, sem nenhuma precisão, biografia grega.

Notas

  1. Hagiografia (do gr. ἅγιος , ‘sagrado, santo’) é um tipo especial de biografia que envolve a descrição da vida de algum santo ou religioso proeminente do cristianismo, do budismo e de outras religiões. O gênero foi muito cultivado durante a Idade Média europeia.

Referências

Arnaldo Momigliano, The Development of Greek Biography, Cambridge and London, Harvard University Press, rev.ed.1993.

Créditos das ilustrações

i0526Galeno (129/200) → Ver comentários.

Imprenta

Artigo nº 0870
publicado em 20/10/2014.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Os biógrafos. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0870. Consulta: 27/03/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 25/03/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017