Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Licurgo

 
O teatro de Dioniso em Atenas

O estadista e orador Licurgo (gr. Λυκοῦργος) era do demo de Butades e viveu entre -390 e -324, aproximadamente. De origem aristocrática, sua família era vinculada a funções sacerdotais hereditárias em Atenas.

Biografia

Licurgo estudou com Isócrates e com Platão, era muito culto e se tornou célebre pela integridade. Representou Atenas em uma embaixada, apoiou a política anti-macedônica de Demóstenes e, após a batalha de Queroneia (-338), foi encarregado de restabelecer e reorganizar as finanças da cidade.

Durante sua austera e íntegra gestão, que durou doze anos (de -338 até -327), a arrecadação dobrou. Deve-se a ele o fortalecimento da esquadra, melhorias no porto do Pireu, em diversos edifícios e áreas públicas, a reconstrução do Teatro de Dioniso em pedra, as estátuas dos três grandes trágicos erigidas ali e a conservação de cópias escritas "oficiais" das tragédias de Ésquilo, Sófocles e Eurípides (Ps-Plu. X Orat. 841f), nas quais as reapresentações tinham que se basear.

Anos após a morte de Licurgo, seus três filhos foram perseguidos politicamente por um tal Menecsemo, não se sabe exatamente porque, e chegaram a ser presos. Demóstenes, no exílio, escreveu à Assembleia uma carta em sua defesa, lembrando-lhes a probidade de Licurgo e seus serviços à pólis, obtendo assim sua libertação.

Fontes principais: Suid. (s.v.), Ps.-Plu. X Orat. 841a-f e 852a-e, D. Ep. 3, D. Prooem. 9.72, D.S. 16.88.1-2 e 17.15.1-3, Hyp. Fr. 23, Paus. 1.29.15-6, IG II 328, 333 e 351, IG VII 4254.22-4.

Obra

Como político, tinha reputação de firmeza, honestidade e severidade; suas habilidades de orador, no entanto, eram apenas medianas. Seus discursos eram diretos, um pouco exagerados e um tanto tediosos, com longas citações de Homero e dos poetas trágicos. Das 14 orações atribuídas a ele pelos antigos, todas são de caráter judicial e acusatórias, exceto duas, pronunciadas por ele em defesa de sua administração.

Somente o discurso Contra Leócrates chegou até nós; dos demais restaram apenas alguns fragmentos.

Manuscritos, edições, traduções

Os principais manuscritos do Contra Leócrates são o Codex Crippsianus (sæc. XIII), conservado no British Museum, Londres, e o Codex Oxoniensis (final do sæc. XIV), da Bodleian Library, Oxford. O Oxoniensis contém apenas partes do discurso.

A editio princeps, uma Aldina, data de 1513. Principais edições modernas: Petrie (1922), Durrbach (1932), Burrt (1954), Conomis (1970), Malcovati (1966) e Engels (2008).

Diversos testemunhos sobre a vida de Licurgo e o discurso Contra Leócatres foram traduzido para o português por Segurado e Campos em 2010.

Referências

J.A. Segurado e Campos, Licurgo - Oração contra Leócrates, Coimbra, Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos, 2010 [e São Paulo, Annablume, 2011].

Créditos das ilustrações

i0656O teatro de Dioniso em Atenas → Ver comentários.

Links externos

Imprenta

Artigo nº 0649
publicado em 24/12/2015.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Licurgo. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0649. Consulta: 17/08/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 30/04/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017