logo
\ 1220 palavras

Lendo e escrevendo o grego antigo

 
Jovem com tabuinhas, estilete e pedagoga (?)

Ler ou escrever o grego antigo em sistemas computadorizados requer a instalação de fontes politônicas com vogais, consoantes, sinais diacríticos e certos símbolos característicos da antiga língua grega[1].

Em nossos dias, as melhores fontes gregas utilizam o padrão unicode. Fontes tradicionais têm apenas um conjunto de caracteres, enquanto as fontes unicode têm diversos conjuntos padronizados de letras, símbolos, ideogramas e outros sinais específicos de linguagens antigas e modernas.

Lendo o grego antigo no Portal

Observe os caracteres das duas frases abaixo:

[2] Μῆνιν ἄειδε θεὰ Πηληϊάδεω Ἀχιλῆος οὐλομένην [3] 𐀪 𐀰 𐀷 𐀂 𐀋 𐀩 𐀄

Na primeira linha (A), você está lendo caracteres do alfabeto grego do Período Clássico; na segunda linha (B), caracteres silábicos da escrita linear B, utilizada durante a Idade do Bronze.

Isso é possível graças à diretiva @font-face das folhas de estilo do Portal, que baixa automaticamente as fontes unicode apropriadas em navegadores modernos, sem necessidade de instalação prévia.

f0208
Fig. 0208. Leitor diante de armário com livros.

Assim, seja qual for o seu sistema operacional (Windows®, Mac/iOS®, Android®, etc.), computador de mesa, notebook, tablet ou smartphone, se o navegador estiver atualizado você lerá os caracteres gregos do Portal sem dificuldades.[4]

Lendo e escrevendo o grego antigo em outros sistemas

Nos arquivos em formato .pdf, você consegue ler textos em grego antigo simplesmente porque as fontes necessárias foram embutidas pelo programa que gerou o arquivo. Veja aqui um exemplo.

Arquivos gerados em editores de texto (formato .doc, .rtf, .odt, etc.) dão um pouco mais de trabalho. Para ler um arquivo já criado, basta instalar em seu sistema a fonte utilizada pelo autor. Se, por outro lado, é preciso escrever palavras ou trechos em grego antigo, há três abordagens possíveis, e todas envolvem a instalação de fonte grega unicode.

Copiar e colar

Alguns sites da Web, como a Perseus Digital Library® e o Abridged Online TLG®, disponibilizam on line textos gregos em padrão unicode. Basta acessar o site, selecionar a passagem desejada, "copiar + colar" no seu editor de textos, no seu email, no Facebook, etc.

Quem tem fonte grega unicode instalada, o que é cada vez mais frequente, consegue visualizar os caracteres gregos.

Digitar palavras e trechos curtos

Não especialistas e especialistas muitas vezes precisam incluir em seus trabalhos apenas uma palavra ou um trecho muito curto em grego antigo. Como boa parte dos editores de texto dispõe de fontes unicode, basta digitar a palavra ou texto em programas especializados e depois "copiar + colar" o resultado.

A criação do texto grego é resolvida por meio de utilitários Web que convertem on line os caracteres digitados. Recomendo, para a escrita alfabética,

 
Ilum. 0816 / Material romano para escrita e leitura

Digitar trechos longos

No caso de passagens mais longas, é preciso digitar o texto grego por meio de programa genericamente denominado “interruptor de teclas”, que dá acesso aos conjuntos de caracteres gregos alfabéticos greek and coptic (U+0370 a U+03FF) e greek extended (U+1F00 a U+1FFF) das fontes unicode, através do teclado do computador.

Alguns desses programas funcionam “dentro” de editores de texto como o Word® e o Writer®, e de programas como o GMail®, o Yahoo®, o Facebook®, o Twitter® etc.

Desktops, notebooks, tablets e smartphones têm algumas diferenças:

Desktops e notebooks

O Windows® dispõe de recursos próprios para essa tarefa, basta

  1. acessar o Painel de Controle,
  2. as configurações de Região e Idioma,
  3. a aba Teclados e Idiomas,
  4. depois os botões Alterar teclados ... e
  5. Adicionar ... e instalar o idioma Grego com o teclado Grego (Arcaico).

Depois é só alternar entre o teclado de caracteres latinos e o teclado de caracteres gregos conforme a necessidade.

Esse teclado grego, assim como outros, têm interruptor de teclas já embutido. Os melhores interruptores são:

Em geral, a digitação por meio de teclados especiais / interruptores requer o uso do beta code, código de correspondência entre caracteres do teclado latino e caracteres gregos, criado por David W. Packard pouco antes de 1980:

α β γ δ ε ζ η θ ι κ λ μ ν ξ ο π ρ σ τ υ φ χ ψ ω
a b g d e z h q i k l m n c o p r s t u f x y w
' ` ~
( ) / \ = a|
  1. para obter o α minúsculo, tecla-se "a", para o β, "b", etc.;
  2. para as maiúsculas, deve-se colocar o * antes da minúscula correspondente, e.g. *f = Φ;
  3. o sigma terminal (ς) corresponde ao "j";
  4. o iota subscrito corresponde ao "|", e.g. w| = ;
  5. espíritos vêm sempre antes dos acentos, e.g. a)/ = .

Exemplo (Odisseia 9.19):

ei)/m'  )*oduseu\j *laertia/dhj, o(\s pa=si do/loisin
εἴμ' Ὀδυσεὺς Λαερτιάδης, ὃς πᾶσι δόλοισιν[6]

Nos teclados especiais, a única diferença em relação ao beta code é a digitação de maiúsculas mediante Shift + tecla (shift + p = Π), como nos teclados latinos.

Tablets e smartphones

Há poucos meses a Tavultesof disponibilizou o Keyman®, aplicativo gratuito para iOS® e Android® que trabalha de forma similar aos teclados / interruptores para desktop e permite a introdução de textos em grego antigo em outros aplicativos (Facebook®, WhatsApp®, etc.).

No iPhone, por exemplo, depois de baixar e instalar o app, acesse os keyboards ativando o símbolo Keyman, depois o símbolo +, e então adicione o item Greek, Ancient com teclado Greek Classical (que funciona bem melhor do que o Polytonic).

A disposição das teclas é autoexplicativa e, para digitar, vale a seguinte regra geral: primeiro a letra, depois espíritos e acentos. Completada a digitação, o programa permite copiar o texto e colar onde for necessário.

Caracteres e sinais complexos

A digitação de caracteres silábicos e ideogramas da linear B (U+10000 a U+1007F; U+10080 a U+100FF), do silabário cipriota (U+10800 a U+1083F), dos sinais numéricos antigos (U+10100 a U+1013F e U+10140 a U+1018F) e da notação musical grega (U+1D200 a U+1D24F) ainda não tem solução prática satisfatória.

É necessário, por enquanto, localizar cada um dos sinais em utilitários mapeadores de caracteres, como por exemplo o Babel Map para Windows® (há também uma versão on line), e depois "copiar + colar".

leia mais