Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Xoana e esculturas dedálicas

 
Dama de Auxerre

As primeiras esculturas em grande escala, "monumentais", refletem nitidamente a influência orientalizante presente nas estatuetas mais antigas. O estilo arcaico propriamente dito se fez notar somente depois desse "período orientalizante", que terminou por volta de -600.

Imagens de madeira

Sabemos, pela tradição e por numerosas referências literárias, que as primeiras estátuas cultuais dos santuários, as xoana (gr. pl. ξόανα, sg. ξόανον / xoanon), eram esculpidas em madeira a partir de troncos de árvores. Os detalhes eram, certamente, bastante primitivos: traços esquemáticos e sumários, corpo recoberto de vestes e enfeites rituais.

Nenhuma dessas obras, infelizmente, chegou até nós; algumas cenas de vasos e algumas estátuas posteriores, no entanto, dão uma ideia de como podem ter sido tais imagens.

O estilo dedálico

O estilo, assim chamado em homenagem ao mítico Dédalo[1], caracteriza as primeiras esculturas em pedra do século -VII. De inspiração oriental, notadamente síria, parece ter se difundido nos territórios gregos a partir de Creta.

Estatuetas "dedálicas" de bronze, pedra, marfim e outros materiais existiam em grande quantidade na primeira metade do século -VII. As primeiras esculturas em grande escala são mais tardias, posteriores a -640. Inicialmente, utilizou-se o calcáreo, pedra "macia" que podia ser trabalhada praticamente com as mesmas ferramentas usadas em carpintaria. Logo, porém, os gregos começaram a utilizar o mármore "duro" das pedreiras das Cíclades (Naxos, Paros e Samos) e, para isso, tiveram que desenvolver novas habilidades e novas ferramentas.

As figuras dedálicas representam, quase sempre, mulheres completamente vestidas e homens seminus de aspecto um tanto estereotipado: face triangular, olhos e nariz proeminentes, cabeça achatada, cabelos em cachos ou em tranças; corpo alongado, cilíndrico, com tronco de forma triangular e cintura bem marcada; postura frontal, braços em geral ao lado do corpo. O vestido das mulheres disfarça completamente suas formas.

Na Dama de Auxerre (-640/-630), de origem provavelmente cretense, e na estátua de Nicandra (-625), de Delos, essas características são muito marcantes.

Além de numerosas estátuas livres, precursoras dos koûroi e das korai dos séculos seguintes, havia também placas com relevos (Micenas, Beócia, Gortina) e estátuas de "deusas sentadas" (Prínias, Delos). Algumas estátuas eram pequenas, como a Dama de Auxerre (65 cm); outras, como a de Nicandra, de tamanho quase natural (1,75 metros); outras ainda, como uma koré recentemente descoberta em um cemitério de Tera e datada de -640, eram gigantescas (2,3 metros).

Ao contrário do que se pensava, o estilo dedálico não ocorreu apenas em territórios dórios. Muitas das obras mais antigas procedem efetivamente de áreas dórias (Creta, Tera, Rodes), mas o estilo logo se difundiu a todos os territórios gregos.

A maioria dos escultores é anônima, talvez em razão do capricho dos achados arqueológicos. Um pedestal datado mais ou menos de -600, no entanto, encontrado em Delos, conservou o nome de Euticártidas de Naxos.

Notas

  1. Dédalo (gr. Δαίδαλος), lit. ‘trabalhador habilidoso’, foi um legendário arquiteto, escultor e inventor de origem ateniense. Na Antiguidade, atribuía-se a ele as mais antigas obras de arte arcaicas e ainda certo número de obras míticas, e.g. o Labirinto de Creta. Segundo tradição conservada por Platão, as estátuas esculpidas por ele eram tão semelhantes aos seres vivos que os olhos se moviam e eram capazes de andar.

Créditos das ilustrações

i0548Dama de Auxerre → Ver comentários.

Em outras partes do Portal

Imprenta

Artigo nº 0499
publicado em 08/12/2003.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Xoana e esculturas dedálicas. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0499. Consulta: 21/09/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 30/04/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017