logo

Hesíodo / Trabalhos e dias 286-311

Hes. Op. 286-311
grver
texto original

Uma apaixonada apologia do trabalho duro, segundo Hesíodo... A tradução é de Mary C.N. Lafer (1990, p. 45).

A ti boas coisas falarei, ó Perses, grande tolo! Adquirir a miséria, mesmo que seja em abundância é fácil; plana é a rota e perto ela reside. Mas diante da excelência, suor puseram os deuses 290 imortais, longa e íngreme é a via até ela, áspera de início, mas depois que atinges o topo fácil desde então é, embora difícil seja. Homem excelente é quem por si mesmo tudo pensa, refletindo o que então e até o fim seja melhor; 295 e é bom também quem ao bom conselheiro obedece; mas quem pensa por si nem houve o outro é atingido no ânimo; este, pois, é homem inútil. Mas tu, lembrando sempre do nosso conselho, trabalha, ó Perses, divina progênie, para que a fome 300 te deteste e te queira bem a coroada e veneranda Deméter, enchendo-te de alimentos o celeiro; pois a fome é sempre do ocioso companheira; deuses e homens se irritam com quem ocioso vive; na índole se parece aos zangões sem dardo, 305 que o esforço das abelhas, ociosamente, destroem, comendo-o; que te seja caro prudentes obras ordenar, para que teus celeiros se encham do sustento sazonal. Por trabalhos os homens são ricos em rebanhos e recursos 309 e, trabalhando, muito mais caros serão aos imortais. 311 O trabalho, desonra nenhuma, o ócio desonra é!