Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO

Sófocles / Filoctetes 1004-19

TRADUÇÃO

O trecho selecionado pertence ao 3º estásimo da tragédia e mostra o lamento de Filoctetes ao descobrir que Odisseu o enganara.

A tradução é de Fernando Brandão dos Santos, que gentilmente autorizou a reprodução de parte de sua Dissertação de Mestrado (1990). De lá para cá, o texto foi revisto e publicado pela Odysseus em 2008.

O lamento de Filoctetes
FILOCTETES
Ó mãos, quantas coisas suportas pela falta das cordas
1005
amigas[1], por este homem aprisionadas!
Ó tu que nada saudável nem livre pensas,
de novo me enganaste, como me caçaste, tomando
como cobertura para ti esse menino um desconhecido para mim;
indigno de ti, mas digno de mim,
1010
que nada sabia exceto fazer o que foi mandado.
É evidente que agora suporta dolorosamente
as faltas que ele próprio cometeu, pelas quais eu sofro.
Mas a tua alma perversa penetrando sempre pelas profundezas,
a ele, que não tinha essa natureza e tampouco queria,
1015
ensinou bem a ser hábil em coisas perversas.
E agora, miserável, julgas que, tendo me prendido,
levas-me deste promontório, no qual me jogaste,
sem amigo, desertado, sem cidade, entre vivos um morto?
Ah!
1019
Que morras! E muitas vezes isso te roguei.
TEXTO GREGO
a

Notas

  1. A corda do arco de Héracles. [FBS]

Referências

Fernando Brandão dos Santos, Filoctetes. Sófocles, São Paulo, Odysseus, 2008.

Imprenta

Artigo nº 0091
publicado em 07/01/1999. Atualização: 14/09/2009.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Sófocles / Filoctetes 1004-19. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0091. Consulta: 23/10/2017.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 30/04/2017 ← novidades Contato Outras páginas do autor
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2017