Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO
660 palavras

Hipócrates de Cós

Θεσσαλὸς Ἱπποκράτης,  Κῶιος γένος, ἐνθάδε κεῖται, Φοίβου ἀπὸ ῥίζης ἀθανάτου γεγαώς, πλεῖστα τρόπαια νόσων στήσας ὅπλοις Ὑγιείης, δόξαν ἑλὼν πολλὴν οὐ τύχαι, ἀλλὰ τέχναι.

O tessaliano Hipócrates, de família de Cós, descansa aqui.
Nascido do imortal tronco de Febo,
inúmeros troféus contra as doenças erigiu com as armas de Hígia
e obteve imensa glória não pelo acaso, mas pela sua arte.

 

Hipócrates de Cós (gr. Ἱπποκράτης) foi, segundo a tradição, o maior médico da Grécia Antiga e possivelmente de toda a Medicina Ocidental. Na Antiguidade era chamado de pai da Medicina e sua importância é tão grande que, a exemplo da Filosofia, pode-se dividir a história da Medicina em duas etapas, a pré-hipocrática e a hipocrática; vivemos ainda, portanto, na era da medicina hipocrática.

Biografia

Hipócrates de Cós

Hipócrates nasceu na ilha de Cós em -460, e morreu em Larissa, na Tessália, por volta de -380. Era um asclepíade, membro de uma espécie de corporação de médicos que alegava descender do próprio Asclépio, o deus da Medicina.

Consta que seu pai, Heráclides, era médico, assim como seus filhos Tessalos e Drácon. Iniciou-se na profissão provavelmente com o pai, como era costume na época, clinicou mais tarde em vários lugares e também ensinou medicina durante muitos anos. Platão o menciona com uma certa admiração nos diálogos Fedro, Cármides e Protágoras, e atesta que essa atividade didática era remunerada pelos alunos.

Já em vida sua reputação de médico e professor era considerável. Muito de sua fama posterior advém, no entanto, da atribuição a ele, pelos antigos, dos escritos médicos da “coleção hipocrática”, mas nenhum desses textos pode ser considerado de sua autoria. Acredito, particularmente, que é bem possível ter sido Hipócrates o primeiro a aplicar e a difundir os conceitos defendidos pelos mais antigos textos da coleção e que, graças ao seu renome, os antigos acabaram considerando-o autor de toda a obra.

Conservou-se um epigrama atribuído a Diógenes Laércio que, segundo consta, ainda podia ser visto na tumba de Hipócrates em Larissa, durante o século II, e que sintetiza admiravelmente a vida, a doutrina e o respeito que Hipócrates mereceu de seus contemporâneos (v. epígrafe).

O método hipocrático

Segundo a tradição, Hipócrates deu à medicina o impulso rumo ao diagnóstico, prognóstico e tratamento em bases científicas. Estabeleceu, além disso, um conjunto de normas de conduta que fundamenta até hoje a ética médica.

Graças à Hipócrates — ou aos escritos a ele atribuídos — a Medicina é hoje considerada uma Ciência e uma Arte. Seus ensinamentos quanto à postura do médico podem ser resumidos no próprio “método hipocrático”: rigorosa observação do doente, análise racional dos fatos clínicos observados, escrupulosa correlação das causas e seus efeitos.

Devido às lendas que cercam seu nome e ao anonimato dos escritos do corpus hippocraticum (a coleção de textos “hipocráticos”), é difícil saber com certeza quais ideias são do próprio Hipócrates. É provável que uma das principais tenha sido a necessidade de ver o homem como um todo (Pl. Phdr. 270c). Que ele atribuía a causa das doenças ao ar e a resíduos da digestão, como informa o manuscrito conhecido por Anonymus Londinensis, não tem respaldo em nenhum dos textos da coleção.

Uma notável característica dos textos hipocráticos é que nenhum deles se serve da magia ou da religião para explicar a causa das doenças. Talvez, e somente talvez, essa convicção tenha sido também a de Hipócrates. Ainda conforme os escritos hipocráticos, ele preferia usar recursos naturais para o tratamento das doenças e era obsessivamente honesto no trato com o doente, seus familiares e também com os outros médicos.

Iluminuras complementares

Referências

Wilson A. Ribeiro Jr., Aspectos reais e lendários da biografia de Hipócrates, Jornal Brasileiro de Medicina, v. 6, n. 1, 2003, p. 8-10 [disponível online]. Wilson A. Ribeiro Jr., Hipócrates de Cós. In: Henrique F. Cairus; _________, Textos hipocráticos: o doente, o médico e a doença, 2005, p. 11-24. [disponível online].

Créditos das ilustrações

i0108Hipócrates de Cós (-460/-380) → Ver comentários.
i1252Hipócrates (-460/-380) → Ver comentários.

Em outras partes do Portal

Imprenta

Artigo nº 0050, publicado em 11/04/1998. Última atualização: 27/11/2003.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. Hipócrates de Cós. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=0050. Consulta: 18/11/2019.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 12/09/2019 ← novidades Contato Outras páginas do autor Créditos
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2019